Gestão em Startups: tecnologia, pessoas + 3 dicas de como fazer

0
362
gestão em startups

O processo de gestão em startups é completamente diferente de qualquer negócio tradicional. Quando se tem um modelo focado na disrupção e crescimento acelerado, existirão cuidados específicos para garantir a sobrevivência do negócio.

Muito mais do que simplesmente ter uma ideia boa, uma startup bem sucedida precisa realmente “tirar leite de pedra” com recursos e tamanho de equipe limitada.

Patrocinado

Mas, se você pretende embarcar nesta jornada, ou só quer saber mais sobre o processo de gestão de uma startup, confira neste artigo alguns pontos importantes sobre o assunto:

Antes de tudo… o que é uma startup?

o que é startup?

Apesar de existirem diversas explicações para o termo Startup, é possível resumi-los como uma empresa emergente com modelo de negócio escalável.

Em geral, esses negócios lidam diretamente com algum tipo de inovação no mercado, e essa é a diferença das empresas tradicionais.

Por isso, é comum vermos definições que envolvem o cenário de incerteza nas startups. Por não se tratar de um modelo tradicional, muitos dos desafios de cada negócio podem ser completamente novos. 

Por isso, a grande prova para a sobrevivência desses negócios está no seu início, pois é quando precisa comprovar que o modelo de negócio é sólido e pode de fato crescer.

Fases da vida de uma startup

Em primeiro lugar, antes de listar cada uma das fases, vale destacar que o conceito das fases de uma startup também é completamente discutível.

Assim como a definição do termo, ainda existem muitas discussões sobre quais são as reais fases que passam uma startup, especialmente pela jornada específica de cada empresa.

Porém, vamos contar aqui a lista trazida pela ABSTartups (Associação Brasileira de Startups), um dos principais portais sobre o assunto:

Ideação

Considerado como a fase da “adolescência”, esse é o período em que existe a idealização do que será essa startup. Ou seja, é o momento em que a sua grande ideia começa a ser colocada em prática. 

Para isso, é importante que o empreendedor comece também a fazer algumas perguntas decisivas para o futuro do negócio, como:

  • Quem é o cliente ideal?
  • Eu sei explicar o meu produto em detalhes?
  • Como eu comunico quais serão os problemas que meu produto solucionará?

Serão as respostas dessas (e muitas outras) perguntas que ajudarão a direcionar o caminho da empresa. Então, aproveite esse período para avaliar exatamente o que você quer, e como vai fazer para chegar lá.

Operação

Depois da adolescência, chega a vida adulta. Para a startup, é o momento em que o modelo de negócio está consolidado e a responsabilidade é conseguir escalar a sua operação e procurar clientes. Então, não adianta chegar neste momento se o seu produto ainda não pode ser adquirido de alguma forma.

Com isso bem estabelecido, agora você já poderá começar a buscar investimentos externos, um ponto muito importante na vida de qualquer startup. Aqui sempre vale também destacar a possibilidade de parceria com incubadoras e programas de aceleração.

Como em qualquer vida adulta, é importante ficar de olho nas responsabilidades, especialmente financeiras. Agora que o seu negócio está tomando corpo, não dá pra perder a atenção.

Tração

Agora, depois de já saber o caminho que quer levar, e possuir parte dos instrumentos para tal, o próximo passo é simples: crescer. Para isso, assim como na fase anterior, é importante que existam investimentos, que permitirão o aumento da equipe.

Para isso, também será necessária a criação de um time diverso, que permita ao empreendedor delegar funções, e deixar quem entende fazer as demandas de cada área.

Scale up

Aqui é o momento em que o seu negócio está pronto para o sucesso. Você já tem uma equipe bem preparada e orçamento para se manter em operação. Mas, a definição de uma startup scale up está em uma empresa que traz um crescimento de pelo menos 20% em três anos consecutivos (em receita ou equipe).

Patrocinado

Por isso, se o negócio chegar a esse ponto, já é possível dizer que o caminho está traçado. Vale então continuar evoluindo a equipe com cargos especializados e claro, sempre buscando investimentos.

Gestão em startups: pessoas

gestão de pessoas em uma startup

Grande parte parte do sucesso de qualquer negócio é definido pelas pessoas que o compõe. Além do próprio dono, é necessário que o time seja composto de pessoas que compram a ideia, e estão dispostas a crescer com a empresa.

E para isso, manter esses colaboradores felizes e motivados é essencial, não é mesmo? A produtividade está diretamente ligada a todos esses pontos que mencionamos aqui. 

Por isso, vamos trazer aqui algumas dicas essenciais para a gestão de pessoas em uma startup:

1 – Assertividade nas contratações

Com um orçamento limitado, especialmente no começo da empresa, o espaço para erro em contratações é muito menor. Por isso, antes de tudo, tenha muita atenção na escolha de quem fará parte da sua equipe.

Foque em pessoas que agreguem com suas competências, mas também se adequem a cultura que será criada na startup.

2 – Diminua a burocracia 

Um dos grandes problemas dos negócios tradicionais é a quantidade de burocracia em cada processo. Quando se dá prioridade a processos simples e flexíveis, além de um funcionamento melhor da empresa como um todo, também será agregado o fator motivacional por parte dos funcionários.

3 – Retenha os seus talentos

Patrocinado

Como mencionamos, existe um grande desafio na criação de um bom time em startups. Por isso, é muito importante que, quando existe um acerto, esses profissionais sejam valorizados e mantidos sempre que possível. 

Isso evitará a rotatividade constante de colaboradores, e trará mais segurança para o negócio como um todo.

Leia também: Um guia completo das vendas: aprenda de uma vez por todas como alavancá-las 

Gestão em startups: projetos

Gestão de projetos em startups

A maneira com que uma startup faz a gestão de seus projetos diz muito sobre a qualidade do resultado. Hoje já existem diversos métodos diferentes e feitos para otimizar ao máximo a produtividade de negócios que não possuem todos os recursos de uma empresa grande.

Patrocinado

Leia também: Gestão de projetos: saiba o que é e as principais metodologias

Para isso, baseados no Manifesto Ágil, foram criados os métodos ágeis. Inicialmente indicados para a gestão de projetos de desenvolvimento de software, hoje eles já são adotados por diversos negócios ao redor do mundo. 

Caso queira saber mais detalhes sobre alguns desses métodos, não deixe de ler o nosso guia completo sobre Gestão de Projetos.

Gestão em startups: financeiro

Gestão financeira em startups

Acima de tudo, o que irá definir o sucesso e a sobrevivência da startup é a gestão financeira. Por se tratar de um modelo de negócio que lida com muitas imprevisibilidades, esse processo de gerenciamento de finanças acaba sendo um grande desafio.

Por isso, é normal que por um bom tempo do começo de vida dessas empresas, o caixa fique negativo até que sejam feitos investimentos. Diferentemente de uma empresa comum, o foco inicial não é trazer faturamento.

Por isso, até que esses aportes financeiros externos cheguem, muitos dos empreendedores acabam tirando dinheiro do próprio bolso para garantir a sobrevivência e cobrir os custos operacionais. 

Então, existem alguns cuidados importantes que as startups devem ter para não se tornarem mais um dos diversos fracassos no mercado. Vamos listar aqui algumas medidas:

  • Ter um capital de giro definido para manter as operações;
  • Acompanhamento do fluxo de caixa e conciliação bancária;
  • Ter o controle dos pagamentos e recebimentos;
  • Atenção com a gestão tributária;
  • Monitoramento de KPIs financeiros (Key Performance Indicator  ou Indicador-Chave de Desempenho) como lucro, renda e faturamento.

Aqui, fica a dica de automatizar e centralizar essas demandas por meio de uma plataforma como um ERP.