SaaS: Sabia que faz parte do seu dia a dia?

0
457

Na era da transformação digital, é comum lidar com siglas e novos termos a todo momento e hoje compartilho aqui um pouco sobre os SaaS. Você sabe o que é?

Começando pelo básico, a tradução da sigla SaaS ao pé da letra significa “Software as a Service” ou seja, software como um serviço. São sistemas que não são comercializados como produto, como o próprio nome sugere, são todos serviços e aplicações utilizados através da internet. 

O SaaS já faz parte de nossa vida

Os SaaS já fazem parte de nosso cotidiano, e um exemplo disso é o Netflix – que com certeza, mesmo que você não use, já ouviu falar. E podemos encontrar os SaaS em diversas áreas da nossa vida. PayPal, Spotify, Dropbox, Pipedrive, entre outros. 

Uma solução SaaS atende diversos objetivos, desde a simples utilização para armazenamento de arquivos e envio de emails até a possibilidade de gerir a equipe de vendas de uma empresa ou seus processos de gestão de cliente, como funcionam os ERPs e CRMs.

Entre versões pagas e gratuitas, pessoais e profissionais, todos eles trabalham com sua gestão em nuvem e as empresas também podem contar com soluções personalizadas. 

As versões pagas são geralmente renovadas a cada mês através de uma mensalidade, ou seja, o cliente paga por uma assinatura do serviço oferecido e não por um produto. O que elimina os custos com aquisições e licenças. 

Assim que a assinatura é feita, o serviço pode ser utilizado em qualquer lugar, a qualquer momento, por vários tipos de gadgets – celulares, notebooks, tablets – desde que tenha acesso a internet.  

Vantagens 

Uma das principais vantagens de se ter um SaaS no seu negócio, é a praticidade e versatilidade. Como já mencionei acima, além da possibilidade de ter uma solução personalizada ao seu negócio, você fica livre de processos de instalação e manutenção. 

  • Não é necessário que você tenha uma super estrutura de tecnologia nem que invista em treinamentos específicos;
  • Permite que a empresa utilize apenas as funcionalidades adequadas para o seu momento atual;
  • Não é necessário uma equipe de TI especializada para fazer a implementação;
  • Como o sistema fica hospedado na nuvem, o acesso remoto também é uma das vantagens;
  • As atualizações e melhorias são de responsabilidade da empresa do SaaS, não sendo necessário o download de nenhum aplicativo, os upgrades são feitos na nuvem, sem prejuízos nas operações;
  • E por conta de todos os benefícios acima, há uma considerável redução nos custos e maior previsibilidade do planejamento financeiro no médio e longo prazo.

As empresas de SaaS vêm ganhando destaque no mercado, ganhando muita força principalmente no meio corporativo. Tantas facilidades associadas à redução de custos, são grandes atrativos para empresários de todo porte. 

E caso sua empresa já tenha algum software mais complexo instalado, os SaaS podem ser facilmente integrados juntamente com suas API’s (Interfaces de Programação de Aplicativo).

Um pouco da história

Hoje, o SaaS está disponível em uma ampla gama de mercados, mas não foi sempre assim. Muitos dizem que a Concur foi a primeira empresa SaaS do mundo, mas como ela não foi fundada como um, a Salesforce ganhou este posto.

Hoje como a ferramenta de gerenciamento com cliente mais popular do mundo, a Salesforce é o maior exemplo de SaaS de sucesso que se teve na história. O primeiro SaaS a ser construído do zero, por três empresários, que bateu um crescimento recorde. 

Se concentrando em serviços de nuvem de vendas, serviços e CRM, desde o início dos anos 2000 até hoje a empresa aproveita as tecnologias emergentes para impulsionar as vendas de seu SaaS.

Sendo considerada hoje umas das organizações mais inovadoras do mundo, e com isso conquistou grandiosos números:

Hoje em dia, o modelo SaaS é a forma preferida dos usuários e empresas consumirem tecnologia, se encaixando perfeitamente dentro das estrutura das corporações e representando benefícios estratégicos para os negócios.

Entre os SaaS modernos mais comuns hoje em dia, temos as aplicações em:

Como escolher a melhor solução?

Por se tratar de uma tecnologia que teve mais destaque recentemente, alguns gestores podem mostrar certa insegurança em adquirir um SaaS para sua empresa. 

E apesar de todos os benefícios que um SaaS pode trazer, é necessário conhecer muito bem o seu negócio e suas necessidades, bem como saber lidar com a possível resistência que alguns colaboradores podem ter com sua implementação.

A ascensão deste modelo de negócio fez com que surgissem diversas opções para cada segmento, por isso a escolha do melhor SaaS para sua empresa deve ser norteada pelas mesmas questões na hora de escolher um software tradicional. 

Ter certeza que a solução se encaixa nos requisitos de seu negócio e processo de trabalho, identificar os problemas que serão solucionados com sua implementação além de pesquisas de mercado e referências. 

E para os negócios que pretendem ir além e desenvolver o seu próprio SaaS, também existem outras opções… 

E o que são os PaaS?

Partindo dos mesmos princípios dos SaaS, o PaaS trata-se de uma plataforma como serviço (platform as a service). Também com sua gestão 100% em nuvem este modelo de negócio oferece às empresas um ambiente de desenvolvimento de aplicações bem como um ambiente de execução para entregá-las.

As soluções de PaaS são criadas com linguagem de programação e direcionadas para desenvolvedores com o intuito de que o profissional fique focado na construção dos aplicativos, deixando a parte “burocrática” como gerenciamento, licenças e manutenção, com o fornecedor. 

Dentre suas maiores vantagens estão também a redução de custos e o aumento da velocidade de desenvolvimento. Alguns exemplos de PaaS: Heroku, AWS, Google App Engine.

Métricas para levar em consideração

Em 1990 quando surgiram os SaaS, os softwares eram vendidos em forma de licença e instalados nos computadores dos clientes. E com o nascimento dos SaaS e a nova forma de aquisição de serviços (por assinatura) surgiu também a necessidade de analisar novas métricas e indicadores.

O SaaS Metric surgiu como uma forma de mensurar todos os resultados obtidos com o seu SaaS e analisar sua capacidade de gerar receitas recorrentes, reter e atrair clientes e tudo isso a um custo de aquisição razoável.  

Algumas outras métricas que se deve ficar de olho são: 

  • Número de cancelamentos (Churn Rate);
  • Ticket médio – valor médio que um cliente gasta comprando seus produtos;
  • Cálculo das renovações das assinaturas (ARPA – Average Revenue Per Account);
  • Receita que um cliente gera ao longo de toda sua relação com a empresa (LVT – Lifetime Value);
  • Investimento necessário para conquistar um novo cliente (CAC – Custo de Aquisição de Clientes);
  • Receita recorrente mensal (MRR – Monthly Recurring Revenue).

E diante destes dados coletados, devemos saber responder algumas perguntas como: Meu negócio é financeiramente viável? Em que momento devo pisar no acelerador ou no freio? Qual o impacto no caixa e lucro / prejuízo ao acelerar?

Todas essas informações merecem atenção, para garantir o sucesso da empresa. A máxima “o que não se pode medir, não se pode melhorar” apesar de clichê, torna-se bem verdadeira diante deste cenário.

É preciso saber a hora certa de escalar, enquanto o CAC ajuda a gerenciar os gastos com marketing e vendas pode-se voltar a atenção para Inside Sales e Customer Success.

E lembrando que por se tratar de algo 100% voltado a tecnologia, pode ser que os canais de venda tradicionais não funcionem tão efetivamente. Vender diretamente por meio de canais próprios, pode ser a melhor opção. 

E na mesma proporção que é necessário dar a devida importância a estas métricas, é preciso saber reconhecer as “métricas de vaidade’ ou seja, os dados que não serão relevantes e que ao invés de ajudar em uma tomada de decisão, apenas as tornam mais complexas e demoradas. 


Na era da “computação em nuvem” é necessário se adequar e principalmente adequar a sua empresa. A transformação digital está presente na forma como nos relacionamos e também como fazemos e gerenciamos negócios. 

Acesse aqui mais um artigo do nosso blog falando sobre as tendências dos SaaS no Brasil.